III Divisão Série F 2016/2017

III Div. ++ 2016/2017

3.º Lugar da Série F, Melhor Equipa Algarvia

III Divisão Série FJVEDMSP
1. Torrense 7 6 0 1 19 19 
2. Ferroviários  7 6 0 1 23 5 19
3. Loulé ++ 7 4 1 2 18,5 7,5 16
4. Peões da Caparica 7 3 1 3 12 16 14
5. Faro 7 3 0 4 14  14 13
6. Cavadas 7 1 2 4 10,5  17,5 11
7. Barreirense 7 1 1 5 7,5  16,5 10
8. Ferreira do Alentejo 7 1 1 5 7,5 16,5 10

Vários meses e dois mil quilómetros depois, o Loulé ++ terminou a sua primeira participação no Campeonato Nacional de Xadrez da III Divisão no terceiro lugar da Série F que juntou oito equipas oriundas desde Almada até Faro.

A prova foi muito competitiva, tendo sido necessário esperar pelo final da última jornada para saber quem seria a equipa vencedora da série, assim como as equipas relegadas aos campeonatos distritais, tendo o conjunto louletano, que fixara como objectivo a manutenção, estado na luta pela subida até à penúltima jornada.

Em declarações divulgadas na página do facebook «Torres de Loulé», o capitão do Loulé ++ realçou que a sua equipa encontrou "adversários experientes, preparados, motivados e a jogar praticamente toda a prova em casa, no seu concelho ou em concelhos do seu distrito de Setúbal. Sentimos que a diferença para as equipas que ficaram à nossa frente esteve mais ao nível do descanso e da frescura física, do que na força de jogo ou na capacidade competitiva".

Assinalando o bom trabalho de todos os elementos da equipa que foram chamados a competir, o capitão mostrou-se "muito confiante num futuro ainda mais risonho, apesar de nesta primeira experiência [o Loulé ++] ter conseguido estar na luta até praticamente ao fim: na penúltima jornada estávamos a jogar para o topo da classificação. Perdemos aí por 2,5-1,5, a margem mínima, com grande mérito do Torrense que justificou a vitória na série e a promoção à II Divisão".

A finalizar, dirigiu-se aos adeptos, agradecendo todo o apoio manifestado e desejando que a equipa "tenha estado à altura do que dela esperavam, e que se tenham sentido bem representados pelo clube"; e à Direcção do Loulé ++ os jogadores agradeceram a possibilidade que lhes foi dada de integrar a equipa e participar nesta prova nacional, manifestando a vontade de, até ao final da época, continuarem a obter bons resultados, agora nas provas distritais.

Por sua vez, Amarildo Lima, Presidente da Direcção, salientando o brilhantismo do terceiro lugar alcançado pelo Loulé ++, o melhor resultado de uma equipa algarvia nos Nacionais desta época, agradeceu o apoio camarário na cedência de espaços para a realização dos jogos em casa, nas pessoas do Dr. Hugo Nunes, vereador do Desporto, e de André Filipe Gomes, Chefe da Unidade Operacional de Apoio ao Associativismo e Eventos Desportivos da CM Loulé.

(A Voz do Algarve, 6 de Abril de 2017, link)

7.ª Jornada2 Abr. 2017Barreiro
Loulé ++ Clube de Xadrez das Torres do al-Gharb Loulé ++ 4 - 0 ADC Faro

L. Botelho 1 - 0 H. Pena

J. Prata + - - F. Barros

T. Pinho 1 - 0 C. Sousa

B. Martins 1 - 0 R. Boto

 

 

 

A caminhada da equipa soltou o verbo do nosso poeta:

Vontade tinha-se de um bom resultado se conseguir
Independentemente da equipa que conseguisse ir
A caminho do Barreiro se foi com esperança e ambição
Garantir a melhor posição no campeonato a nossa missão

Estivemos nos nossos objectivos muito focados
Mostrámos nos tabuleiros uma grande competência
Alcançaram-se muitas vitórias com requintes de mestria
O que provámos: que o Algarve tem jogadores muito qualificados

Bem tivemos um contributo estrangeiro de grande qualidade
Almoçámos muito bem em ambiente de cavaqueira e cordialidade
Repousou-se o possível muitos buracos alheios o capitão tapou
Realce muito para quem muito confortável a estadia tornou

Esforço grande por algo de que gostamos fizemos
Infatigáveis fomos até ao momento tardio de na cama descansar
Resultado foi bom mas mais para o ano queremos
O convívio esse foi daqueles para mais tarde recordar

Bruno Martins

6.ª Jornada1 Abr. 2017Barreiro
IFC Torrense 2,5 - 1,5 Loulé ++

F. Teixeira 0 - 1 L. Botelho

M. Mendes 1 - 0 O. Jurado

J. Jesus 1 - 0 J. Prata

B. Gordo 1/2 - 1/2 T. Pinho

Loulé ++ Clube de Xadrez das Torres do al-Gharb
5.ª Jornada1 Abr. 2017Barreiro (250 kms)
Loulé ++ Clube de Xadrez das Torres do al-Gharb Loulé ++ 4 - 0 GD Cavadas B

L. Botelho 1 - 0 A. Palet

O. Jurado 1 - 0 A. César

J. Prata 1 - 0 P. Pintor

T. Pinho 1 - 0 J. Carvalho

4.ª Jornada4 Mar. 2017Barreiro (250 kms)
CCP Barreirense 2 - 2 Loulé ++

L. Reis 1/2 - 1/2 L. Botelho

V. Mira 1/2 - 1/2 J. Prata

D. Silva 1 - 0 T. Pinho

J. Marcelino 0 - 1 M. Dias

Loulé ++ Clube de Xadrez das Torres do al-Gharb

Na quarta ronda as Torres foram novamente ao Barreiro. A malapata da margem sul continua, mas está a melhorar, pois desta vez a equipa louletana não saiu derrotada!

O grande destaque da equipa foi para o estreante Marcos Dias que apesar de ser novo nestas andanças foi o único jogador a regressar ao Algarve com o ponto completo.

No primeiro tabuleiro, o Botelho tinha o desafio mais complicado e garantiu meio ponto. Nos dois restantes, as Torres ficaram aquém do desejado: o Prata não conseguiu converter o seu ataque num ponto completo, e o Tiago perdeu por tempo.

As últimas três jornadas da prova serão jogadas de forma concentrada, no fim de semana de 1 e 2 de Abril, também no Barreiro.

III Divisão Série FJVEDMSP
1. Ferroviários 4 4 0 0 15 12 
2. Torrense  4 3 0 1 10,5 4,5 10
3. Faro 4 3 0 1 11,5 3,5 10
4. Loulé ++ 4 2 1 1 9 7 9
5. Peões da Caparica 4 1 1 2 6,5  8,5 7
6. Ferreira do Alentejo 4 1 0 3 3,5  11,5 6
7. Cavadas 4 0 1 3 10 5
8. Barreirense 4 0 1 3 3 12 5
3.ª Jornada18 Fev. 2017Convento do Espírito Santo
Loulé ++ Clube de Xadrez das Torres do al-Gharb Loulé ++ 4 - 0 Ferreira do Alentejo

L. Botelho 1 - 0 J. Santinhos

C. Roche 1 - 0 D. Sousa

O. Jurado 1 - 0 A. Barbosa

B. Martins 1 - 0 A. Marques

Na terceira jornada, as Torres voltaram a jogar em Loulé, e da Muralha fizeram novamente uma fortaleza impenetrável. Depois de terem recebido e vencido os Peões da Caparica na segunda ronda, desta feita foi a sala 15 do piso superior do claustro do Convento do Espírito Santo que serviu de sala de visita para acolher a equipa do Clube de Xadrez de Ferreira do Alentejo. Já os corredores foram o palco de mais uma edição do Torneio da Porta Aberta, um modelo de exibição para os adeptos da Torres fazerem algumas partidas enquanto acompanhavam o desempenho dos convocados para o encontro da III Divisão.

A equipa algarvia alinhou com Luís Botelho, Christian Roche, Oliver Jurado Pérez e Bruno Martins. Luís Botelho, primeiro tabuleiro e desde esta semana único totalista da equipa, obteve o seu segundo ponto para a equipa em três jogos. O francês Christian Roche manteve o seu percurso 100% vitorioso na equipa louletana, enquanto o espanhol Oliver Jurado Pérez voltou ao quatro inicial depois de um jogo de descanso para assegurar a vitória no terceiro tabuleiro. No quarto, as Torres estrearam o altense Bruno Martins que se mostrou à altura das circunstâncias, garantindo a vitória sobre os alentejanos pela margem máxima. Mas o regresso a Ferreira do Alentejo não foi feito de mãos a abanar: além da visita à Feira do Chocolate, no Mercado, a equipa visitante levou como galhardetes citrinos e outros produtos algarvios.

Depois da derrota na primeira jornada, esta segunda vitória consecutiva aproximou Loulé dos lugares do pódio, encontrando-se agora na quarta posição com os mesmos pontos do terceiro classificado. Os festejos realizaram-se do outro lado da Cerca do Convento, no The Old Town, onde os nachos, as tostas, as bruschettas e a simpatia fizeram o furor habitual. Na próxima jornada, que se jogará a 4 de Março, as Torres vão ao Barreiro jogar com a equipa da Cooperativa de Consumo Popular Barreirense.

III Divisão Série FJVEDMSP
1. Ferroviários 3 3 0 0 11,5 0,5 9
2. ADC Faro 3 3 0 0 10 2 9
3. Torrense 3 2 0 1 8 4 7
4. Loulé ++ 3 2 0 1 7 5 7
5. Peões da Caparica 3 1 1 1 5,5 6,5 6
6. Cavadas 3 0 1 2 4,5 7,5 4
7. Barreirense 3 0 0 3 1 11 3
8. Ferreira do Alentejo 3 0 0 3 0,5 11,5 3

Mais?
Fotos | Crónica do Torneio da Porta Aberta

2.ª Jornada7 Jan. 2017Arquivo Municipal de Loulé
Loulé ++ Clube de Xadrez das Torres do al-Gharb Loulé ++ 3 - 1 Peões da Caparica

L. Botelho 1 - 0 A. Costa

K. Finkler 0 - 1 A. Pereira

C. Roche 1 - 0 M. Martinho

T. Pinho 1 - 0 A. Martinho

Na segunda jornada, a jogar em casa, as Torres não desperdiçaram a fortaleza da Muralha. O encontro disputou-se no piso superior do Arquivo Municipal de Loulé e, durante parte da tarde, no rés-do-chão, foi organizado um torneio amigável para os membros e os amigos do clube. Alinharam neste encontro Luís Botelho, Kai Finkler, Christian Roche e Tiago Pinho, que contaram com o apoio activo de mais de duas dezenas de adeptos.

Vestindo pela primeira vez a camisola do clube em provas oficiais, o francês Christian Roche, no terceiro tabuleiro, foi o primeiro xadrezista a pontuar, abrindo o marcador a favor dos louletanos. Aproveitando a falta de experiência do jovem adversário, o sub-12 Miguel Martinho, a Torre de Loulé optou por uma variante aguda da Abertura Italiana, na qual ofereceu um peão, sacrifício que foi rejeitado pelo Peão da Caparica.

Como o Christian referiu no final, "Naquela posição a teoria recomenda que o peão seja capturado, obtendo as brancas compensação pela desvantagem material". Todavia, as pretas optaram por não abrir a posição e as brancas tentaram, então, explorar o tema táctico do ataque duplo. O logro funcionou e as pretas, desorientadas, propuseram a troca de Damas, para diminuir o poder de fogo do ataque branco, numa posição em que tal não era possível. Jogando com precisão, Christian Roche acabou por conseguir vantagem decisiva, ao conseguir promover um peão a Dama ao décimo quarto lance.

Depois foi a vez de Luís Botelho, no primeiro tabuleiro, se superiorizar a Américo Costa, aumentando a vantagem no marcador para 2-0, a favor dos louletanos. Os outros dois jogos seguiram equilibrados durante mais de três horas, altura em que o brasileiro André Pereira, dos Peões da Caparica, terminou com a resistência do alemão Kai Finkler, do Loulé ++. Com 2-1 no placard, tudo ficou para ser resolvido no último tabuleiro: uma vitória de Alberto Martinho colocaria o resultado final em 2-2; já a Tiago Pinho bastava um empate para garantir a vitória dos louletanos pela margem mínima de 2,5-1,5.

Apesar de um ou outro contratempo nas manobras do meio-jogo, a Torre de Loulé manteve a posição controlada, em situação de igualdade, na transição para o final da partida. E depois de criar um peão passado, que compensava a fraqueza dos peões dobrados na coluna C, passou a ser mais fácil descobrir bons lances para o exército preto do louletano do que para as peça brancas do caparicano.

E foi já com o relógio a disponibilizar já menos de cinco minutos para cada jogador terminar a partida que o xadrezista da margem sul vacilou, não tendo encontrado a melhor continuação para a sua defesa, imprecisão que foi severamente punida, através de um golpe táctico, uma pregagem que sentenciou a partida.

Com esta vitória por 3-1, o Loulé ++ subiu à quarta posição da classificação, dando um importante passo na luta pela manutenção no terceiro escalão do xadrez nacional.

Mas como o resultado não é o que mais interessa, há que agradecer a amabilidade e simpatia com que o Xadrez foi recebido no Arquivo Municipal de Loulé, e dar nota da disponibilidade dos Peões da Caparica para se juntarem ao nosso Jantar dos Reis, depois do encontro, no dia em que o clube fez 4 meses, o que engrandeceu as comemorações. Parafraseando o provérbio, no final do dia, Peões e Torres, todos regressam à mesma caixa. Foi um enorme prazer jogar e conviver com os Peões, e constatar que entre o Algarve e a Margem Sul há um tabuleiro que nos une muito mais que a distância que nos separa. Desejamos que a lembrança que levam de Loulé se avive com as laranjas de Alte, a doçaria tradicional dos Doces às Cores e o medronho do Al-Gharb - Sabor a Sul, produtos do concelho utilizámos como galhardete.

III Divisão Série FJVEDMSP
1. Ferroviários 2 2 0 0 8 0 6
2. ADC Faro 2 2 0 0 7,5 0,5 6
3. Torrense 2 2 0 0 6,5 1,5 6
4. Loulé ++ 2 1 0 1 3 5 4
5. Cavadas 2 0 1 1 3 5 3
6. Peões da Caparica 2 0 1 1 3 5 3
7. Ferreira do Alentejo 2 0 0 2 0,5 7,5 2
8. Barreirense 2 0 0 2 0,5 7,5 2

Mais?
Fotos | Crónica do Clube dos Peões da Caparica | Crónica do Torneio da Porta Aberta

1.ª Jornada10 Dez. 2016Barreiro (250 kms)
logoferroviariosdobarreiro

Ferroviários 4 - 0 Loulé ++

H. Ferreira 1 - 0 L. Botelho

H. Candeias 1 - 0 J. Jesús

G. Silva 1 - 0 O. Jurado

J. Rosário 1 - 0 T. Pinho

Loulé ++ Clube de Xadrez das Torres do al-Gharb

Estreia complicada para a nossa equipa. A deslocação iniciou-se com alguns percalços que não nos impediram de chegar a tempo ao destino. Almoço, como previsto, no Seixal, no nosso Centro de Estágio.  Alinhámos com Luís Botelho, Javier Jesus, Oliver Jurado e Tiago Pinho, superiormente assessorados por Cláudia Monteiro, responsável pela foto-reportagem que foi sendo realizada, em tempo real, na nossa página do facebook.

O embate no terceiro tabuleiro foi o primeiro a desequilibrar-se para o lado dos Ferroviários, com Gonçalo Silva a superiorizar-se em bom estilo. As restantes partidas mantiveram-se igualadas durante mais tempo, mas dois erros estratégicos, no segundo e no quarto tabuleiro, e um táctico, no primeiro, ditaram a primeira derrota do clube.

Flash-flash Interview:

Botelho: Ânimo, equipa! A contabilidade faz-se no fim!

Javi: Sin la camiseta del equipo pierdo 100 puntos elo...

Oliver: La próxima vez ganaremos! ... o no.

Tiago: Neste clube, tudo é em grande. A primeira derrota não podia ser mais perfeitinha.

Cláudia: Cromos!

 

O CAMPEONATO PORTUGUÊS DE XADREZ POR EQUIPAS

O campeonato português de xadrez é composto por dezenas de clubes e centenas de equipas e está estruturado em diversas competições, o que permite às equipas subirem e descerem de divisão, com algumas limitações: por exemplo, cada clube só pode ter uma equipa em casa um dos escalões nacionais. Em alguns casos, há várias séries dentro de cada divisão, variando, assim, de época para época, as equipas que integram cada uma das séries/divisões.

Cada equipa é constituída entre 4 a 16 xadrezistas, sendo que cada encontro é disputado a quatro tabuleiros. O ritmo de jogo é de 90 minutos com 30 segundos de acréscimo por lance, para cada jogador. O resultado da equipa é a soma dos resultados individuais dos seus quatro jogadores (1 ponto por vitória, meio por empate e nenhum por derrota), correspondendo 4-0 à vitória/derrota mais expressiva, 2,5-1,5 à vitória/derrota menos expressiva e 2-2 ao empate. A pontuação da equipa é de 3 pontos no caso de vitória, 2 no caso de empate, 1 no caso de derrota e nenhum em caso de falta de comparência).

No topo da pirâmide está a I Divisão. É a competição por equipas mais importante, sendo disputada por 10 equipas que jogam no sistema de todos contra todos a uma volta, normalmente em dias consecutivos numa semana de Verão.

O segundo escalão é a II Divisão que agrega 24 equipas. Esta liga é realizada em três séries, cada uma delas constituída por 8 equipas distribuídas geograficamente. O sistema também é o todos conta todos a uma volta. Na fase inicial, as 7 jornadas são disputadas entre Dezembro e Abril. A primeira equipa de cada série apura-se para a I Divisão da época seguinte, enquanto que as duas últimas descem à III Divisão. O título de Campeão Nacional da II Divisão é disputado numa fase final jogada pelas três equipas apuradas para a I Divisão.

O último escalão nacional é a III Divisão. Aqui participam 48 equipas, agrupadas em 6 séries de 8, também por critérios geográficos. O funcionamento da competição é idêntico ao da II Divisão, com as diferenças óbvias. Quem conquistar o direito à promoção jogará a II Divisão na época seguinte; quem ficar em último e penúltimo de cada série desce ao Campeonato Distrital/Regional respectivo. A equipa principal do Loulé ++ está a disputar pela primeira vez esta competição, para a qual se apurou no Campeonato Distrital de Faro da época 2015/2016.

Os campeonatos distritais/regionais são o escalão de base do sistema de campeonatos de xadrez por equipas em Portugal. São organizados pelas Associações Distritais/Regionais. Esta época o Loulé ++ vai participar com as equipas de formação no Campeonato Distrital de Faro.

 

A SÉRIE F DA III DIVISÃO 2016/2017

RegulamentoBoletim de Encontro

Jogos em casa:

  • Até 48 horas antes: indicar à FPX o nome do Árbitro (ponto H3 do Reg.) e, se necessário, a alteração do local de jogo (ponto F1 do Reg.)

Compete à Arbitragem:

  • Receber a constituição das equipas - Folha de Apresentação de Equipa
  • Assinalar o início da sessão, accionando os relógios
  • Enviar uma foto do encontro para Competições FPX no prazo de 24 horas (ponto H6d do Reg.)
  • Registar os resultados finais, assinalar o fim da sessão e recolher os 8 originais das folhas de registo de partida (devem ser digitalizados e enviados para a FPX no prazo de 2 dias - ponto H6b do Reg.)
  • Submeter o resultado na Plataforma (por email se não funcional) até às 22:00 horas - ponto H6a do Reg.

Compete ao Capitão (art. 25.º Reg. Compet.):

Calendário e Resultados de todas as Séries | Tudo sobre a III Divisão - Série F

 

logoferroviariosdobarreiro

GRUPO DESPORTIVO DOS FERROVIÁRIOS DO BARREIRO

No dia 10 de Dezembro, iniciamos a competição com uma deslocação aos Ferroviários, os principais candidatos à vitória na série. Despromovidos na época passada, em que terminaram a série C da II Divisão na sétima posição, apresentam uma equipa reforçada que está recheada de valores seguros daquela que é, comprovadamente, uma das melhores escolas de xadrez do país: a do município do Barreiro.

Começaram a época de forma fulgurante, tendo vencido o Campeonato Distrital de Setúbal em ritmo semi-rápido e obtido os dois primeiros lugares do escalão sub-2000 no Open de Benfica. Liderados pelo ucraniano Andriy Ferents (2193), apresentam um valor seguro da modalidade - Hugo Ferreira, 3.º classificado da Fase Final do Circuito Nacional de Xadrez Semi-Rápido 2015/2016, logo após os Mestres Luís Silva e José Padeiro -, e têm várias soluções ao dispor, todas na casa dos 1900/2000 pontos de elo: Humberto Candeias, José Rosário ou Benjamim Elias, a que acresce Gonçalo Silva que, na época passada, defendeu invicto o último tabuleiro da A.XAT, os Campeões Nacionais da III Divisão 2015/2016.

logoclubepeoesdacaparica

CLUBE PEÕES DA CAPARICA

Fundado em 2009, o Clube Peões da Caparica foi criado com o objectivo de colmatar a falta de oferta desportiva e cultural na comunidade de Vila Nova de Caparica.
Depois de ter subido à II Divisão em 2014/2015, a época passada, os Peões terminaram a série logo atrás dos Ferroviários, motivo pelo qual regressaram à III Divisão.

Na segunda jornada, dia 7 de Janeiro, recebemos a equipa liderada por Américo Costa e integra Fernando Amaral (que o ano passado jogou na equipa B), André Pereira (treinador das escolinhas), António Dias e Richard Belecciu, entre outros. O alinhamento da equipa privilegia o primeiro e o quarto tabuleiro, onde se encontram os xadrezistas melhor classificados no ranking internacional: Américo Costa (1856) e Richard Belecciu (1831).

logoferreiradoalentejo

CLUBE DE XADREZ DE FERREIRA DO ALENTEJO

Na terceira jornada, a 18 de Fevereiro, recebemos o Clube de Xadrez de Ferreira do Alentejo, da Associação de Xadrez de Beja, que participou o ano passado na III Divisão, tendo terminado no oitavo lugar. É uma equipa em renovação que tem como ponta de lança Álvaro Ramos (1925) que será coadjuvado por Fernando Palma, João Santinhos, Sara David, António Barbosa, Edi Vicente e pelos jovens Diogo Sousa e Ana Marques (sub-12) e Gabriel David (sub-08).

logocoopcpbarreirense

COOPERATIVA CULTURAL POPULAR BARREIRENSE

Na quarta ronda (4 de Março), nova deslocação ao Barreiro, desta feita à Cooperativa Cultural Popular Barreirense que foi fundada em 24 de Maio de 1913 com o intuito, além do mais, de promover acções culturais para os seus membros e para a comunidade do Barreiro.

A sua equipa de xadrez não é estranha nestas andanças: há pelo menos duas épocas que se vem mantendo na série F da III Divisão. As suas principais referências são Luís Simões Reis e Henrique Pinela. No seu quatro titular apresenta ainda, com frequência, José Silva e Vítor Mira.

logogdcavadas

GRUPO DESPORTIVO CAVADAS B

Na quinta jornada (1 de Abril, de manhã) jogamos com o Cavadas, uma das referências xadrezísticas da margem sul. A sua equipa principal milita na II Divisão Nacional há já várias épocas.

A equipa B terminou em segundo lugar a série F da III Divisão 2015/2016 e este ano apresenta uma nova cara no primeiro tabuleiro: João Coutinho. Depois vêm os xadrezistas que tão boa conta de si deram na época passada - Armando Palet,  Luís Azevedo e Aryton César.

logotorrense

INDEPENDENTE FUTEBOL CLUBE TORRENSE

Nascido e baptizado em 1925 como Independente Football Club Torrense, é o principal dinamizador do xadrez na Torre da Marinha. Além dos vários treinos semanais, orientados por Modeste Mendes (ex-Cavaquinhas), tem emergido como organizador de importantes provas distritais e nacionais.  O ano passado terminou uma longa sequência de encontros sem conhecer a derrota na III Divisão: depois de em 2014/2015 ter terminado a Série invicto, em segundo lugar, com os mesmos pontos que os Peões da Caparica, mas pior desempate, o ano passado foi terceiro classificado.
Na sexta jornada (1 de Abril, de tarde) o nosso encontro é com esta equipa muito homogénea, composta que é por mais de meia dúzia de xadrezistas com força de jogo entre os 1800 e os 2000 pontos. Este ano apresentam duas caras novas nos primeiros dois tabuleiros - Nelson Mendes e Filinto Teixeira -, ocupando o seu tradicional primeiro tabuleiro, Modeste Mendes, o terceiro lugar da lista.  José Lopes, José Fonte Santa (de regresso ao clube após uma época na Academia Almadense) e João Jesus são outros dos trunfos da equipa.

 

ADC Faro

ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA E CULTURAL DE FARO

A última jornada (2 de Abril) reserva um derby algarvio. A ADC Faro, liderada por Carlos Fantasia Sousa, o actual Presidente da Associação de Xadrez de Faro, é uma equipa que, nos seus melhores dias, se bate com qualquer um de igual para igual.

Apresenta a maior média de elo da Série nos primeiros quatro tabuleiros - MF Bernd Steinhagen (2273), João Pacheco (2107), Jorge Gomes (2079) e Marco Marquez (2091) -, e tem uma segunda linha de grande valia, bastante renovada, para fazer face à transferência de André Dionísio para a Mata de Benfica: Dinis Libório, actual Campeão Distrital Absoluto de Faro, contratado à AXAL; Hélio Pena e Pedro Aleixo, que regressam à competição federada; Ada van der Giessen, também ex-AXAL; além da prata da casa - Filipe Barros, Konstantin von Gotzen, Gunter Diete ou Ricardo Boto.

 

logocnequipas

Perspectiva-se uma competição bastante disputada, com muitas equipas a apresentar, em teoria, argumentos bastantes para sonhar com o único lugar que garante a subida. Mas as diferenças são tão ténues que não se estranhará se algum ou alguns dos potenciais candidatos à subida jogar as últimas jornadas a fazer contas para fugir à despromoção.

Pela nossa parte, estamos convictos do potencial da nossa Equipa e da força da nossa Muralha, cujo resultado é seguramente superior à soma da dedicação individual de cada uma dos nossos Xadrezistas e da valia de cada uma das nossas Torres.

É com a ilusão dos estreantes, com a segurança que cria o empenho nos treinos  e com o entusiasmo do costume que representaremos o melhor que conseguirmos o xadrez de Loulé, do al-Gharb e do al-Andalus. Queremos justificar o orgulho dos adeptos das Torres e com todos partilhar as alegrias que esperamos concretizar. Juntos somos mais fortes.

Loulé Xeque-Mate, Torres ao Ataque!

Comments are closed.